26.3.10

A importante conquista do aço

Importância estratégica: exército glorioso controla centro siderúrgico e garante matéria prima para seus maquinários.
.
O Eixo se mobiliza cada vez mais seus esforços de guerra para a tomada da estrada Rio, que poderá levar seus exércitos para combates na Cidade-10, local que se tornou estratégico para os desenrolar da guerra desde que os republicanos estabeleceram o Setor Glorioso em metade da cidade e estacionaram tropas por lá. Com o declínio do exército bacalhau, praticamente desmantelado pelos gloriosos nas batalhas pelo controle da estrada Guanabara, coube ao narco-exército flamengo e ao exército colorido tomar a frente nas ações de ameaça a República do Botafogo e ao pacato povo da Cidade-10.
.
Os flamengos, inclusive tentaram um assalto a cidade de Engenhão, tentando se aproveitar do fato que os gloriosos ainda organizam a reconstrução do anel de ferro que protege a cidade. O plano dos bárbaros flamengos era destruir a cidade e transformá-la numa grande plantação de coca e papoula. Na retórica flamenga, o discurso fala em “plantios ecológicos”. Os gloriosos sabem muito bem não que não devem aceitar ou acreditar nas estapafúrdias desculpas lançadas pelo diabólico Ministério da Propaganda flamengo, através de seu ministro Renato Maurício Goebbels: o objetivo dos do reino da Gávea era aumentar a sua área de produção e com isso a rede de distribuição e financiamento de seu narco-exército. Os gloriosos não se intimidaram e combateram muito bem, especialmente o valente 17º Pelotão das Brigadas Internacionais, expulsando as hordas flamengas de seu território. Tudo teria corrido da melhor maneira, mas infelizmente quando a horda flamenga já batia em retirada, os perigosos tanques “Chatuba” fizeram um improvável ataque que causou alguns estragos menores ao exército glorioso.
.
O golpe de última hora evidenciou os alertas do profeta Seu Raimundo, em especial o de te atenção na retaguarda durante todo o tempo. E além disso, também a necessidade do exército se fortalecer ainda mais, para os combates encarniçados que se avizinham. Por isso, o Alto Comando de Guerra mandou o exército em marcha, com um objetivo claro: tomar o importante centro de siderurgia localizado ao sul da República. Conquistar a Cidade do Aço tornou-se parte fundamental da estratégia republicana, pois significa controle de importante matéria prima para o maquinário do exército.
.
Como de costume, a vanguarda comandada pelas Brigadas Internacionais tomava a iniciativa do combate: o valente 17º Pelotão lutava bravamente pro cada centímetro de terreno e seus ataques eram preocupação constante da linha de defesa voltinha (que dizem, estava financiada por interesses bacalhaus). Os bombardeiros LA-13 causavam pavor ao oponente a cada sobrevôo para reconhecimento. Mas ainda faltava um ataque incisivo, que quebrasse de vez as linhas de defesa inimigas e possibilitasse acesso ao centro da Cidade do Aço.
.
Com uma demora demasiada e desnecessária, o marechal de campo lançou ao combate tropas que estavam estacionadas na reserva: um pequeno pelotão, comandado pelo Aspirante a Oficial Caio, aluno brilhante recém formado nas escolas de Formação Militar republicanas. Um pequeno pelotão pode fazer diferença num combate? Pode, caso se posicione com inteligência no campo de batalha observando bem os movimentos do outro lado e com isso se posicionando no ponto certo, para encontrar uma brecha entre as linhas de defesa inimigas e fazer o ataque mortal.

Ataque do Aspirante a Oficial Caio destrói o QG das defesas inimigas e resolve a batalha em favor dos gloriosos.

E quando o combate já se arrastava para um impasse, com o exército glorioso cansado e aparentemente sem muita condição para furar a eficiente linha defensiva inimiga, o pelotão Aspirante Caio mostrou mais uma vez porque é motivo de orgulho para todo cidadão glorioso: o vôo dos bombardeiros AL-13 era apenas uma distração, uma cortina de fumaça – eles estavam sobrevoando a área, porém sem bombas. Mas o sobrevôo causou uma movimentação da defesa inimiga e, por pouquíssimo tempo, abriu-se uma brecha. Foi o tempo necessário para o Aspirante Caio tomar um lança chamas e lançar-se em vigoroso e fatal ataque contra o inimigo. O golpe fez o estrago necessário para os voltinhas baterem em retirada. Os gloriosos, graças a um valente rapaz formado no país, conseguiram então tomar a Cidade do aço e toda sua indústria.

A produção gloriosa começou imediatamente – uma fábrica de tanques foi instalada ao lado da siderúrgica. O exército glorioso vem ganhando corpo e força para os combates finais, embora ainda apresente alguns problemas – em especial no suprimento à vanguarda e na teimosia do marechal de campo em não lançar ao front o pelotão do Aspirante a Oficial Caio por mais tempo nos combates. O rapaz é valente, eficiente e a vanguarda ganha muito quando ele está na batalha.

Fábrica de tanques do exército glorioso instalada ao lado da siderúrgica recém conquistada. O lado republicano vai se reforçando para os combates finais.

A tomada da Cidade do Aço foi um golpe no Eixo. Um dos três lados do triângulo maligno, o Império de Sãojanú foi, indiretamente, duramente atingido por esse movimento republicano. Correm rumores fortíssimos que eles se preparam para assinar um armistício em separado e com isso sair do combate pela Cidade-10. Isso acirrará ainda mais os ânimos de flamengos e coloridos e essa ameaça deve ser combatida e contida.

Que o exército siga esse caminho de progresso. E que o comando militar perceba, finalmente, que seguir nesse caminho será mais fácil com a promoção do Aspirante Caio para as tropas regulares.

O Aspirante a Oficial Caio, quando entra na batalha, bota fogo no inimigo. Por que não torná-lo parte das tropas regulares?

10 comentários:

snoopy em p/b disse...

é incrível como é bom ler seus textos.
criativos e hilários.
"O plano dos bárbaros flamengos era destruir a cidade e transformá-la numa grande plantação de coca e papoula."
kkkkkkkkkkkkk

General Fischer disse...

"Sensacionante"!

"Tanques Chatuba" ... KKKKKKKK!

Muito bom!

Obrigado Danilo, não nos deixe sem suas crônicas, jamais!

Rir é o melhor remédio.

E à vitória contra a tríade do mal!

Dora disse...

parabéns, Danilo!!!
vc como sempre brilhante.
reitero o pedido do General Fischer: não nos deixe sem duas crônicas tão inteligentes, jamais!
o Botafoguismo é tudo de bom.

Rui Moura disse...

O teu texto é quase um 'orgasmo intelectual'. Tem padrão de coerência e força criativa permanente.

Abraços Gloriosos!

Jose Carlos disse...

Cara. que isso! Maravilhoso. E esse texto é tão bom quanto os outros, o que prova cada vez mais que deveriam ser publicados em livro. Leitura obrigatória não soimente para botafoguenses, mas para qualquer pessoa inteligente o suficiente para reconhecer um ótimo artista. Parabéns, Danilo.

Dora disse...

José Carlos vc falou tudo: um livro.
é isso que o Botafoguismo precisa se transformar.
hoje mesmo já postei sobre isso no Canal Botafogo.
qualquer torcedor se deliciaria com os textos do Danilo afinal, eles são fabulosos.

Luiz Docarmo disse...

Danilo, o narco-exército deixou os sulistas vermelhos à mercê do resultado da batalha entre os Sãojanú e o exército de Luís Alves.

Parece que a parada será decidida entre os republicanos e os três vértices do triângulo maligno.

Que o círculo republicano prevaleça mais uma vez e os inimigos caiam tontos 2 a 1.

Saudações botafoguenses!

Julio Cesar Castro disse...

Olá, sou mais um a apoiar o livro com as crônicas do Botafoguismo. Os textos sobre o carioca do ano passado foram sensacionais. As descrições sobre as vitórias e as derrotas eram inspiradoras.
Acho que um livro seria um sucesso!!!
Saudações alvinegras.

Nailton Natal_RN disse...

Danilo, Ha dois anos que eu espero sua cronica da conquista da "cidade" a 08 e 09 nao deu mais meu sentimento é que a cidade 10 terá uma cronica que toque mais do que a que vc escreveu sobre a saida do flamenda da libertadores..

Dora disse...

gente já vai fazer 1 ano que estamos sem o Botafoguismo.
snif!snif!snif!